O que é melhor para o meio ambiente?

Ambas são atitudes sustentáveis; o importante é sempre destinar corretamente todos os materiais

O primeiro passo para aderir a hábitos mais sustentáveis está no consumo consciente. Isso significa que temos de sair do modo automático, prestando muito mais atenção no que, por que e quanto compramos. Essa primeira ação nos permite gerar menos resíduos. Na sequência, precisamos aprender a cuidar de todo o lixo que geramos. E é nesse momento que surge a dúvida: é melhor reaproveitar ou reciclar as minhas embalagens pós-consumo?

Para que possamos entrar nesse assunto, vamos entender primeiro o que significa cada uma dessas ações. O reaproveitamento ocorre quando o produto acaba e você consegue utilizar aquela mesma embalagem, sem transformá-la, para outro fim. Por exemplo, quando compramos um vidro de palmito, consumimos o alimento e, depois, utilizamos aquele frasco para guardar outros produtos ou até mesmo servir como porta-canetas. Aliás, clique AQUI e veja quatro dicas para criar um jardim com materiais reutilizáveis como garrafas, latas e até panelas velhas.

Já na reciclagem, aquela embalagem vai ser transformada, ou seja, vai passar por um processo industrial – que a levará a ser novamente matéria-prima para a fabricação de um novo produto. É o que ocorre quando destinamos adequadamente folhas de papel usado e, depois, compramos um novo caderno. Ou quando as garrafas PET são moídas, lavadas e aquecidas até a fusão, que ocorre em altas temperaturas, para fabricar fibras têxteis e até mesmo outra garrafa.

E o lado positivo é que as duas atitudes são parte de uma vida mais sustentável. Ambas são benéficas para o meio ambiente, auxiliando na redução dos resíduos que geramos todos os dias. O que não podemos nos esquecer, neste caso, é da separação correta desses nossos resíduos.

Vamos supor que o frasco daquele palmito já citado, que está sendo usado como porta-canetas, caiu no chão e quebrou. O que fazer agora? Devemos pegar esses cacos de vidro com cuidado, colocá-los em uma caixa de papelão para evitar que nós e os catadores se machuquem, e depositá-lo no cesto de resíduos recicláveis. Assim, esse vidro seguirá para uma indústria que o transformará novamente em um frasco, garrafa ou outro recipiente. Se reaproveitarmos o frasco, mas depois o jogarmos no cesto de lixo comum, ele vai parar em um aterro sanitário, não terá sua destinação adequada e não cumprirá seu ciclo de vida.

Então vamos combinar uma sequência de boas ações? A primeira é o consumo consciente; a segunda o reaproveitamento; e a terceira a destinação adequada daquela embalagem para que ela possa ser reciclada e, então, voltar para as prateleiras do supermercado. Ou seja, a ideia não é “reaproveitar OU reciclar”, mas sim “reaproveitar E reciclar”.