A história da reciclagem começa na antiguidade

Quando foi que começamos a nos preocupar com o descarte inadequado dos nossos resíduos e passamos a aderir à cultura da reutilização e da reciclagem? A verdade é que não há uma resposta definitiva para essa pergunta, pois são diversas as teorias sobre o surgimento da reciclagem no mundo. Mas, como estamos em 22 de novembro, data em que se comemora o Dia do Reciclador e da Reciclagem do Lixo, vamos falar sobre isso!

O que sabemos é que a nossa sociedade está em desenvolvimento constante. Em 1950 éramos 2,5 bilhões de pessoas habitando o planeta Terra. Hoje somos 7,7 bilhões. Em 2050 a perspectiva, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), é de que sejamos 9,7 bilhões. É muita gente compartilhando o mesmo espaço, produzindo, consumindo e… gerando resíduos.

Acredita-se que enquanto o ser humano era nômade, com as pessoas em constante movimento, a geração de lixo não criava desconforto. Mas, a partir do momento em que começamos a nos fixar, a gestão de tudo o que era consumido passou a ser um problema a ser resolvido. E diversas tentativas foram construídas com o passar dos séculos. Os hindus já colocavam, em suas casas, canos para descartar seus resíduos; os egípcios aproveitavam os resíduos orgânicos oriundos de suas refeições para alimentar os animais; os israelitas queimavam o lixo; e os gregos já investiam na limpeza pública.

Intitulado “Lixo – A limpeza urbana através dos tempos”, o livro publicado pelo professor Emílio Maciel Eigenheer menciona que além de cuidar dos resíduos, a ideia de acabar com o desperdício e reaproveitar os materiais também vem da antiguidade. Porém, apenas na primeira metade do século XX, surgiu, na Inglaterra e nos Estados Unidos, uma preocupação maior quanto à destinação mais adequada dos resíduos. Foi quando foram construídas as primeiras versões dos aterros, visto que ingleses e norte-americanos passaram a formar canteiros onde o lixo era depositado e coberto com terra e, muitas vezes, grama.

A publicação também nos conta um pouco mais sobre a habilidade da Alemanha quanto à gestão de resíduos sólidos e limpeza urbana e nos ajuda a compreender a história da reciclagem. Segundo compartilhado por Eigenheer, com a Segunda Guerra Mundial, a luta contra o desperdício se fez ainda mais necessária e foi nesse momento que toda a população deu ainda mais atenção à reutilização e à reciclagem. Além disso, no período pós-guerra, com o aumento do consumo e a elevação da produção industrial, o tema foi ganhando mais e mais relevância. Hoje, a Alemanha é reconhecida como um dos países com mais sucesso no segmento de reutilização e reciclagem de materiais descartados.

E como surgiu o símbolo da reciclagem?

Na década de 70, movimentos ambientalistas ganhavam força e trouxeram, consigo, mais peso às propostas de reciclagem. Foi justamente nessa época que Gary Anderson, designer e arquiteto havaiano, participou de um concurso e criou o símbolo da reciclagem que hoje é reconhecido em todo o mundo: um triângulo formado por três setas dispostas no sentido horário.

Apesar desse símbolo ser utilizado para todos os temas que envolvem reciclagem, ele representa basicamente a reciclagem do papel e cada material tem sua própria simbologia. No ramo plástico, por exemplo, há uma segmentação e numeração por material: garrafas PET são identificadas pelo número 1; já o PVC segue a numeração 3. E é assim para tantos outros materiais plásticos recicláveis disponíveis no nosso mercado.

Simbologia de identificação de material, disponível para download no site da ABRE - www.abre.org.br

Simbologia de identificação de material, disponível para download no site da ABRE – www.abre.org.br

Interessante como a reciclagem faz parte da nossa vida desde a antiguidade, não? E como esse conceito vem se fortalecendo dia após dia para que possamos construir uma vida mais sustentável, em harmonia com o meio ambiente. Lembre-se sempre de separar seus resíduos e destiná-los adequadamente.